CARLOS ROSA MOREIRA
Membro do Cenáculo Fluminense de História e Letras, da Academia Niteroiense de Letras e da Associação Niteroiense de Escritores. Tem oito livros publicados, todos de crônicas e contos. carlosjrmoreira6@gmail.com
COLUNA

PERIGOS


​Sim, Sr. Auguste de Saint-Hilaire, foi o senhor que muito bem definiu aquilo que ouvi no meio do capim naquela fazenda das Gerais. Ouvi e não vi, mas me precavi e pulei fora. A definição tradicional é ser o som...
COLUNA

PAULISTÂNIA


Acordávamos à noite. Pelo menos, para mim, aquilo era noite. Enquanto me revirava na cama, todos já estavam de pé, cada um sabendo o que devia fazer e agindo como se lá fora houvesse um sol a brilhar, em vez de...
COLUNA

O INFERNO VERDE DO MEU AVÔ


O escritório ficava no quarto dos fundos. À tardinha meu avô acendia a lâmpada do abajur sobre a escrivaninha. A luz amarelada clareava os papéis e o grande mapa do Brasil preso à parede, deixando o resto do quarto...
COLUNA

AGOSTO


Agosto não é mês dos mais queridos. O que é uma injustiça. Talvez não gostem dele porque não tem feriados. Tem o Dia dos Pais, menos concorrido (e dispendioso) do que o das mães; tem o insosso Dia do Soldado,...
COLUNA

OLHARES


  É um casal do Rio, da Zona Sul, mas fugiram para as montanhas. Moram numa casinha de varanda na curva de um rio de águas...
COLUNA

EULÁLIA


A velha trincava uma coxa de galinha. A boca brilhava de gordura. Tinha olhar de comerciante esperto. ‒ Ah, gosto de terra, meu jovem, gosto muito de terra... – disse com jeito matreiro, me olhando de...
COLUNA

PERENIDADES


“I’ve seen things you people wouldn’t believe. Attack ships on fire off the shoulder of Orion. I watched C beans glitter in the dark near the Tannhäuser Gate. All those moments will be lost in time, like tears...
COLUNA

UM DIA


Mês de dezembro. Férias. De manhã foi pipa. Bateu um vento bom e uns quatro ou cinco meninos botaram suas pipas no alto. Teve até adulto ajudando a soltar pipa. Ficamos todos no campinho manejando as linhas. As pipas...
COLUNA

COISAS DE ONTEM


Ouço um chamado da pequena rua onde moro, é o vassoureiro: “vassouuuuuura, vassoureeeeiiiiro”. Ele não grita: vai repetindo seu apelo numa voz cava, alongando interminavelmente o “u” de vassoura e levando...
COLUNA

COISAS PEQUENAS


Certa vez, disse a um grupo de amigos que o mundo havia piorado. Todos discordaram. Um deles exaltou a anestesia no tratamento dos dentes: “antigamente devia ser uma terrível tortura!”; outro elogiou o progresso...

Publicidade

ÊXITO RIO
ÊXITO RIO
ÊXITO RIO
Friweb Agência Digital