08/10/2020 - 10h18min - Autor: Ayrton Dias

TURISMOFOBIA, UMA TRISTE REALIDADE

TURISMOFOBIA, UMA TRISTE REALIDADE

Infelizmente a presença maciça de turistas pode resultar em alterações indesejáveis à vida dos habitantes dos destinos turísticos. Anteriormente a pandemia do coronavírus, em Barcelona (Espanha), por exemplo, moradores já realizaram protestos contra o turismo de massa. O fluxo turístico na cidade já está chegando ao seu limite, resultando em um comportamento hostil da população em relação aos viajantes em um claro sintoma da turismofobia, um fenômeno que gera verdadeira aversão aos visitantes.

 Os motivos vão desde alegar que o número elevado de não-moradores esteja danificando a cidade a até dizer que o turismo exacerbado acaba com negócios locais e dá lugar apenas para grandes marcas. A elevação do custo de vida e o aumento dos índices de criminalidade também são fatores determinantes a “caça aos turistas” que tem ocorrido em vários destinos espalhados pelo mundo, principalmente na europa.

Pode até parecer simples, mas o setor do turismo é extremamente complexo! A construção de um destino exige tempo, planejamento, organização e – fundamentalmente – muito comprometimento. O sucesso obtido em destinos sustentáveis como a Costa Rica, por exemplo, é atribuído a minucioso planejamento e ao envolvimento da sua população, que teve o claro entendimento da importância da atividade turística para a economia do país.

Os impactos gerados pelo setor foram previamente estudados evitando-se incorrer em situações degradantes tanto para a comunidade local quanto para turistas e visitantes. A palavra de ordem sempre foi a sustentabilidade e, dessa maneira, a extensa cadeia do turismo do país caribenho beneficiou-se plenamente gerando um ambiente de prosperidade. O turismo praticado nessas condições atendeu a um ciclo virtuoso que desenvolveu-se à partir de um processo cultural que contemplou os anseios dos costariquenhos no tocante a qualidade de vida. Em viagens pelo ao país, turistas e visitantes percebem a satisfação dos seus habitantes e se sentem acolhidos nesse ambiente encantador permitindo-se desfrutar mais intensamente dos momentos únicos de lazer que só o turismo pode proporcionar. 

Nunca é demais destacar que, além do viés econômico, o turismo deve contribuir para o desenvolvimento social e a preservação ambiental. No Brasil, destinos turísticos como Gramado(RS), Bonito(MTS) e Fernando de Noronha(PE) são referências em sustentabilidade. O sucesso obtido por eles, lamentavelmente, ainda é uma exceção em uma atividade que ainda não é plenamente reconhecida pelas autoridades brasileiras como um importante vetor de desenvolvimento. Para que o turismo ocupe lugar de destaque na economia do país, essa poderosa indústria precisa contar com uma série de mudanças, principalmente em relação ao real entendimento do conceito da sustentabilidade.


Parceiros