01/09/2020 - 14h49min - Autor: Ayrton Dias

Turismo doméstico em alta

Destinos nacionais são os mais visados por turistas no pós pandemia

Turismo doméstico em alta

Segundo o Ministério do Turismo o turismo doméstico será o propulsor da retomada do setor no Brasil. Um levantamento realizado pela plataforma Hoteis.com mostrou que mais da metade dos brasileiros planeja voltar a viajar após o fim da pandemia e 47% deles visam os atrativos nacionais como principal opção para visitar. O litoral brasileiro se destaca, e as capitais mais cobiçadas são Florianópolis (32%), Fortaleza (29%), Recife (23%), Rio de Janeiro (22%) e Salvador (20%). Fotos: Êxito Rio

"Nós identificamos esta oportunidade desde o início da pandemia e estamos trabalhando para aprimorar os destinos com obras de infraestrutura, qualificação profissional e alinhamento de necessidades com o trade para melhorar ainda mais a experiência dos turistas em nossos destinos”, declarou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

                      A procura por atrativos ao ar livre deve crescer

O levantamento mostrou, também, que 53% dos entrevistados vão priorizar passeios com a família e 46% escolherão destinos ao ar livre para evitar aglomerações, como cachoeiras e praias. Outro dado importante, é que após a experiência de meses de confinamento, 70% dos entrevistados afirmaram que agora passaram a valorizar o hábito de viajar e desejam aumentar a frequência de viagens após o afrouxamento das restrições.

Consultores e empresários do setor de turismo preveem que a retomada será lenta e gradual. A boa notícia é que ela deve começar ainda neste ano. Enquanto a temporada de férias de inverno já é considerada perdida, a partir de dezembro, com as férias de verão, muita gente deve voltar a viajar. Nesse primeiro momento, a recuperação do turismo vai ser concentrada em destinos nacionais e de preferência de curta distância. Isso deve beneficiar as locadoras de veículos e as distribuidoras de combustíveis. Na parte de estadia, há quem diga que os hotéis levam vantagem em relação às plataformas de aluguéis como o Airbnb. Isso porque os hotéis conseguem adotar e fiscalizar medidas padronizadas de higiene, enquanto plataformas que alugam casas, não conseguem fazer o mesmo.

Parceiros