23/09/2020 - 13h48min - Autor: Ayrton Dias

Respeitem as montanhas

Respeitem as montanhas

Atualmente a palavra de ordem é sustentabilidade, que está relacionada ao que é necessário à conservação da vida. Comportamentos lesivos ao bem comum como o descarte incorreto de resíduos sólidos e o consumo desenfreado, por exemplo, contribuem para o processo de degeneração do nosso planeta. É preciso incluir boas práticas em nossa rotina de vida. Vista privilegiada a partir do Pico Menor - Foto: Êxito Rio

Em Nova Friburgo, os atrativos naturais precisam de um urgente ordenamento já que a utilização desregrada pode resultar na degradação das nossas belezas cênicas em pouco tempo. A gestão do turismo municipal carece de infraestrutura, campanhas educativas, fiscalização e punição exemplar para aqueles que insistem no uso predatório. Infelizmente, a inconsequência de alguns gera desdobramentos que ocasionam prejuízos incalculáveis. A capacidade de carga deve ser respeitada, assim como as saudáveis normas de convívio com a natureza.

Existem protocolos básicos para o uso dos atrativos, mas o bom senso deveria imperar. Não podemos admitir que grupos numerosos de pessoas, guiadas por quem  deveria ser verdadeiramente profissional, frequentem os ambientes naturais friburguenses sem que haja qualquer tipo de controle. A promoção de eventos festivos nos "picos", que resultam em muito lixo largado e estrema degradação, deviam ser coibidos. Vivemos em um paraíso e precisamos lutar pela sua preservação.

Pico do Chapéu da Bruxa (Nariz do Diabo) visto a partir da Pedra da Babilônia-Foto: Êxito Rio

Para quem tem amor as montanhas e entende a importância do acidentado relevo, cabe a indignação constante e a proatividade em relação ao que for inerente ao uso consciente dessas preciosidades. É necessário que cada montanhista assuma, de maneira individual ou coletiva, a missão preservacionista atuando intensamente pela perenidade desses estonteantes atrativos.

Parceiros