11/02/2020 - 22h41min - Autor: Chico Vellozo

Muita comunicação e pouca conversa

Muita comunicação e pouca conversa

Talvez estejamos vivenciando um momento de isolamento coletivo. Somos verdadeiramente parte integrante de uma aldeia global em que a comunicação ocorre em tempo real com os quatro cantos do mundo, entretanto, a proximidade com os distantes parece que está afastando os próximos. É um fenômeno de difícil entendimento. Eu, por exemplo, não saberia explicar para um ser que esteja fora desse circuito que um telefone celular passou a ser utilizado praticamente para troca de mensagens. Para falar com uma pessoa a atual etiqueta recomenda que seja feito um contato anterior para solicitar o telefonema

Posso ligar? Esse procedimento é cada vez mais comum e em muita das vezes o interlocutor deixa claro o intuito de comunicar-se apenas através de mensagens. Nossos amigos e familiares aderiram a nova onda e a comunicação na maioria das vezes é feita através de encaminhamento de vídeos, áudios e afins.

Estamos siderados perante a nova realidade. A comunicação existe, mas não conversamos mais! Curiosamente, a comunicação dentro de grupos de “conversas” - em ambiente digital - faz recrudescer posicionamentos gerando intrigas e desentendimentos que levam a termo antigas amizades.

As vezes questiono: será que estamos utilizando os meios de comunicação da maneira adequada? Não posso considerar normal um almoço em família em que as pessoas não deixam o celular de lado pra nada. Tem alguma coisa errada sim. Penso que preciso, por exemplo, repensar a minha conduta. Estou sintetizando reações através de Emoticons e Emojis banalizando cada vez mais a forma de expressar-me.

Vou restabelecer padrões antigos de relacionamento convidando pessoas queridas para bater um bom papo ou ligando para elas para saber das novidades. Enfim, “Mudando de conversa onde foi que ficou aquela velha amizade?”.

Parceiros