13/11/2019 - 15h54min - Autor: Kellen Alvares

O doce sabor do licor

O doce sabor do licor

Do latim liquifacere, que significa dissolver ou liquefazer, a história do licor é um tanto quanto mística. Considerado por alguns como uma poção de amor, sua origem está intimamente relacionada à lendas, magia e bruxaria.

Fantasias à parte, a versão mais plausível é de que os licores teriam surgido em xaropes e outras poções caseiras, com fins exclusivamente medicinais. Sua fabricação é uma arte e vem sendo desenvolvida e aprimorada ao longo dos tempos. 

Hipócrates, Galeno e Plínio, já na Antiguidade, escreviam sobre a destilação de líquidos aromáticos. E o fato é, por mais que para alguns seja apenas um digestivo, o licor está enraizado na cultura de drinques mais do que imaginamos. 

Façamos um exercício agora: Tente imaginar um bar deste planeta que não possua nenhuma garrafa de licor. Praticamente impossível, não é verdade? 

O licor é uma bebida alcoólica açucarada e aromatizada com vários tipos de essência.Uma verdadeira alquimia. Sua composição leva açúcar, cachaça, além de frutas, plantas e ervas, que dão o sabor característico de cada bebida.

 

E aqui em Rio das Ostras, eu tive o prazer de conhecer os Licores Artesanais DiNana. Uma verdadeira explosão de sabores, que só de falar, já deu água na boca.

 

E como o que é bom, deve ser compartilhado, eu conversei com Nanla de Souza Bonometti, a idealizadora e responsável pela produção dos licores, aqui na cidade.

 

Qual a sua relação com o licor e o que ele representa pra você?

Nanla: Conheci sobre licores na adolescência. A mãe de uma amiga tinha uma produção caseira, e os mantinha no alto de um armário de cozinha muito bonito. Eu fiquei curiosa e achei aquelas cores tão bonitas… e a mãe dessa amiga me ofereceu um cálice. Licor de jenipapo! Nunca mais esqueci o sabor.

 

Como surgiu essa vontade de produzir licor?

Nanla: Já moradora de Rio das Ostras, eu tive vontade de recepcionar amigos e parentes com algo diferente em minha casa. Então comecei a pesquisar sobre receitas de Licores, que sempre gostei de degustar. Depois de algumas pesquisas desenvolvi o Licor de Canela. Ficou tão saboroso que resolvi presentear alguns familiares e amigas. Produzi um rótulo personalizado para cada pessoa, cada um em uma garrafinha especial. Ficou  tão bonito, que uma amiga me questionou sobre quando eu começaria a produção industrial! Então comecei a produzir em pequenas quantidades diversos sabores, levando degustações aos locais mais variados e hoje em dia já tem alguns estabelecimentos de Rio das Ostras que comercializam os Licores Artesanais DiNana.

 

Há quanto tempo produz?

Nanla: Ao todo produzo há dois anos. 

Como é a produção de um licor?

Nanla: A produção de um bom licor começa com a escolha da matéria prima. A melhor fruta, a melhor cachaça, bons recipientes de conservação, higiene nem se fala!

Mas o diferencial para a produção de um bom licor é respeitar o tempo que cada matéria prima exige. Observar qual tempo cada fruta leva para fermentar, quanto tempo a raiz, a madeira ou o grão levam para liberar cor e sabor ao extrato alcoólico. E o toque final fica ao cargo do carinho especial DiNana. 

Qual o tamanho e tempo da sua produção?

Nanla: A produção ainda é pequena, artesanal. Alguns sabores como Maracujá, Laranja & Café, Gabriela e  Chocolate & Pimenta, são feitos o ano todo e de maneira contínua, pois desses sempre há saída. Quando feita com frutas da época, a produção se torna limitada ao fim da estação, porém massiva, pois os Licores de frutas de época como Jenipapo e Jabuticaba são muito esperados e procurados! 

Qual o principal diferencial dos Licores DiNana?

Nanla: O carinho. Com certeza.

Produzo como se fosse pra minha família. Pois comecei a produzir pensando neles, no sabor que cada um gosta, na característica de cada um. É quase uma produção personalizada. Tanto que passo a conhecer os clientes pelo gosto pessoal e quando sai algum sabor diferente, já sei até para qual cliente oferecer! Haha

 

Quais os sabores mais apreciados pelos clientes?

Nanla: Os licores de maior saída são Maracujá, Chocolate, Gabriela (cravo e canela), Laranja & Café e Chocolate & Pimenta, respectivamente. Mas quando os licores de fruta de época ficam prontos se tornam os primeiros da lista! Desses, os mais esperados são Jabuticaba, Jenipapo e Tamarindo, respectivamente.

 

Os blends também fazem muito sucesso. Qual o processo de descoberta de novos sabores?

Nanla: Esse processo é essencialmente curioso e prazeroso! Sou apreciadora do que produzo, e por isso gosto de criar a partir do que, a princípio, já está pronto. Então, em momentos inspiradores, vou criando drinks, blends, que são misturas harmoniosas de pelos menos dois sabores de licor, e ao final, quando aprovadas por mim, ofereço a uma seleção de clientes fiéis. E estes são os que batem o martelo e aprovam e batizam o blend ou o drink!

 

Porque Rio das Ostras? Qual a sua relação com a cidade e o que mais te encanta? Nanla: Conheci Rio das Ostras durante uma viagem no carnaval de 2006. Me encantei pela cidade e decidi em meu íntimo que um dia moraria aqui. Cheguei a fazer concursos públicos municipais, mas cheguei à cidade para trabalhar como contratada da Prefeitura. Minha relação com esta cidade ultrapassou a questão profissional. Rio das Ostras tornou-se para mim, um local que me remete carinho, boas lembranças, realização de sonhos, cultivo de relacionamento com pessoas que me acolheram, de vínculos importantes que fiz e que com certeza levarei por toda vida!

 

Para quem quiser conhecer mais e saborear os maravilhosos Licores Artesanais DiNana:

Facebook e Instagram: @licordinana

Telefone: 22 99708-0830

Email: nanlasbtti@yahoo.com.br

 

Eu não sei vocês, mas eu tô indo tomar um licor!

Até a próxima!

 

Parceiros