16/01/2019 - 10h38min - Autor: Ricardo Silva de Souza

Tempo, tempo, tempo, tempo...

Tempo, tempo, tempo, tempo...

Os diversos povos que compõem a humanidade, ao longo dos últimos 5.000 anos, desenvolveram métodos de organização do tempo denominados de Calendário.


Os estudiosos acreditam que ele teve origem como os Sumérios – habitavam a Mesopotâmia, onde hoje localiza-se o Iraque -, em 2.700 A.C. Era composto de 12 meses lunares com 29 ou 30 dias, totalizando 354 dias no ano.

 

O Calendário Solar foi mais difícil de ser estudado, pois o ciclo solar, diferentemente do ciclo lunar, trazia mais dificuldade de observação. Ele foi criado pelos egípcios e tinha 365 dias divididos em 12 meses de 30 dias mais 5 dias acrescidos no final do ano. Não havia ano bissexto e os meses eram divididos em três estações: Inundação, Inverno e Verão.

 

O Calendário Gregoriano ou Cristão é o usado atualmente na maior parte dos países do mundo e foi implantado pelo Papa Gregório XIII, em 1582, substituindo o Calendário Juliano, criado durante o governo de Júlio César pelo astrônomo Sosígenes, em 46 A.C. Posteriormente, no século VI, em Roma, um monge chamado Dionísio considerou que a contagem dos anos deveria ser iniciada por um acontecimento de grande importância, de modo que, como cristão, Dionísio definiu que o ano 1 deveria ser o ano do nascimento de Jesus Cristo. Por ter sido promulgado durante o pontificado de Gregório XIII recebeu a denominação de Gregoriano.

 

A aceitação do Calendário Gregoriano não foi imediata e deu-se ao longo de mais de três séculos. Primeiramente foi adotado por Portugal, Espanha, Itália e Polônia e, sucessivamente, pela maioria dos países europeus. Os países onde predominava o luteranismo e o anglicanismo, como as atuais Alemanha (1700) e Grã-Bretanha (1752), tardariam a adotá-lo. Na Suécia a reação foi tão grande que eles fizeram uma adaptação criando o dia 30 de fevereiro. Na sequencia vieram a China (1912), Rússia (1918), Grécia (1923) e Turquia (1926).

 

Alguns povos, para fins religiosos, conservam outros calendários, inclusive com cronologia diferente da adotada pela Igreja Católica Romana. Desta forma enquanto acabamos de iniciar o ano de 2019, o calendário budista o ano de 2563, o calendário hindu com suas diversas variações inicia o ano de 1941 à 5121, o calendário islâmico inicia o ano de 1440, dentre outros.

 

A contagem do tempo em dias, semanas e meses é algo, atualmente, fundamentada em princípios rigorosos da astronomia que se utiliza de ferramental técnico capaz de alcançar os confins do Universo para o contínuo aprimoramento científico de suas bases.

 

Parceiros