06/12/2018 - 09:26h - Autor: Ricardo Silva de Souza

TERRA: A TERCEIRA PEDRA DO SOL

TERRA: A TERCEIRA PEDRA DO SOL

Nesses tempos de tecnologias tão avançadas, a ficção científica perde força diante das possibilidades reais de sua consecução pelo atual nível de conhecimento da sociedade humana. Entretanto vivemos um dilema: no afã de acumular riquezas, os humanos chegaram a um nível de degradação ambiental da Terra tão inimaginável que será necessário procurar outros mundos para a sobrevivência de alguns poucos eleitos?

As condições para prosperar a vida como conhecemos, até onde se sabe, só existe na Terra. A natureza psicológica humana é tentada a apelos midiáticos, geralmente de custos financeiros e científicos maiores, do que às soluções de menor visibilidade socioeconômicas e que demandam menor aporte dos escassos recursos financeiros disponíveis. 

Refiro-me ao fato da dificuldade em implementar medidas globais de redução do consumo dos recursos naturais não renováveis, do consumo de produtos artificiais não biodegradáveis, da redução das emissões gasosas que poluem e consomem nossas reservas de oxigênio e provocam o aquecimento global,  de redução das desigualdades sociais mundiais responsáveis por bilhões dos nossos dentro da linha de extrema miséria. Essas ações ambientalmente positivas representam mais mudanças de atitudes do que exigências de mais recursos financeiros.

Incapazes que somos de consertar nossa própria casa, procuramos outra para breve ocupação de moradores pouco confiáveis no que tange à cultura de cuidado e de preservação. Quais garantias cósmicas poderia a humanidade oferecer para uma eventual transitória temporada?

Em tempo, recebi uma mensagem muito interessante. Diz assim: Vamos imaginar que a Terra seja uma aldeia com 100 habitantes. Mantendo-se a proporção atualmente existente entre eles, haveriam: 57 asiáticos, 21 europeus, 8 africanos e 4 americanos;52 mulheres e 48 homens; 70 não seriam brancos e 30 seriam brancos; 6 pessoas possuiriam 59% de toda a riqueza e 6 desses 6 seriam norte americanos; 80 viveriam em condições sub-humanas. 70 não saberiam ler, 50 sofreriam de desnutrição e apenas 1 teria educação universitária. 

AGORA PENSE: se você se levantou nesta manhã com mais saúde que doenças, então você tem mais sorte do que milhões que não sobreviveram nesta semana. Se você nunca experimentou os perigos da guerra ou a aflição da fome, então você está melhor do que 500 milhões de pessoas. Se você leu essa mensagem  tem mais sorte do que 2 bilhões de pessoas que sequer sabem ler. Essa é a Terra que estamos deixando. Merecemos outra chance?

   

Notícias relacionadas

CLIQUE AQUI PARA VER MAIS

Compatilhe nas Redes Sociais!

comentários