21/06/2018 - 11h24min - Autor: Ayrton Dias

Vinicius Claussen - Prefeito eleito de Teresópolis

Vinicius Claussen - Prefeito eleito de Teresópolis

“O impossível é questão de opinião”!

Vitorioso em uma recente disputa eleitoral, o empresário Vinicius Claussen (PPS) foi eleito prefeito de Teresópolis. O pleito suplementar convocado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) garantiu ao novo prefeito um mandato até 2020. Aos 39 anos, Vinicius assume seu primeiro cargo político em um dos momentos mais críticos da história do famoso município serrano.

Quais motivos o levaram a entrar na política assumindo um cargo majoritário? 

- Os motivos são na verdade entender que a cidade precisa criar um novo momento, onde a gestão será a tônica. Teresópolis precisa de austeridade, compromisso com a transparência, formar um corpo de secretariado técnico, que também tenha com compromisso com a ética, com a competência, vendo que a cidade tem um potencial incrível e finalizar esse período de abandono, de descaso com a nossa cidade. Temos que colocar a cidade para evoluir novamente, pois Teresópolis tem um potencial incrível e agora precisamos empreender no setor público, explorar todas as oportunidades, e que essas oportunidades possam gerar desenvolvimento econômico, principalmente no Turismo, na Agricultura e no campo do bem-estar.

Pode apresentar suas principais metas a frente da gestão municipal?
 

- Trazer equilíbrio para as contas públicas. Tivemos um desequilíbrio, uma instabilidade muito grande, além de falta de credibilidade por anos. Temos que valorizar o servidor, fazer com que ele tenha orgulho de ser servidor. Fazer entregas para que ele se sinta parte desse movimento de mudança, que ele entenda o porquê do seu trabalho. Tenho certeza que essa valorização trará muitos frutos para a cidade.
Temos ainda que fazer com que Teresópolis seja reconhecida com um destino turístico capaz de absorver uma grande demanda do Rio de Janeiro. Com o aeroporto internacional a menos de uma hora e meia de distância, três grandes unidades de conservação (municipal, estadual e federal) que podem contribuir como turismo da cidade, Teresópolis hoje é um paraíso mal cuidado que precisa se reposicionar, se reinventar e isso será feito com uma gestão de compromisso com a transparência e, principalmente, de uma forma que traga desenvolvimento para a cidade, que devolva a qualidade de vida para todos. 

Que mudanças pretende implementar no município? 

- A primeira é da mentalidade. Precisamos voltar a sonhar, precisamos atualizar a nossa cidade. Teresópolis está desatualizada. Teresópolis não participa dos principais programas de desenvolvimento tanto no governo estadual, como no governo federal. Precisamos fortalecer as iniciativas tanto privadas como dos institutos de desenvolvimentos como SEBRAE, FIRJAN, SENAC, além das associações que existem na cidade, como CDL, ACIAT, SINCOMERCIO, TERESÓPOLIS CONVENTION BUREAU, Polo Gastronômico e os conselhos de cidade também. Na verdade, reativar o diálogo com a cidade. Temos de enfrentar ainda grandes questões como o lixo, a parte de esgotamento sanitário, ordenação urbana, iluminação pública, entre outros problemas. Temos grandes desafios para enfrentar, e vamos fomentar vários projetos para discutir com a sociedade e efetivamente implantar, tornando a cidade mais atraente e mais competitiva. 

O turismo será uma prioridade em seu governo? 

- Teresópolis tem um vocação incrível. Existe uma beleza natural. Para começar ela é a capital nacional do montanhismo, e não só. Estamos colados com 13 milhões de consumidores, se formos pensar só no público do Rio. Nós precisamos nos organizar, tematizar, criar produtos, participar de feiras, fazer fan tour, trazer as agências operadoras de turismo. É preciso sinalizar a cidade, tornando-a mais organizada, mais atraente, valorizando todo o trade turístico porque no turismo nós temos questões para responder: onde comer? O município já tem uma rede gastronômica atraente, diversificada e com um bom custo benefício. Outro ponto é a questão hoteleira: hoje Teresópolis dispõe de mais de 5 mil quartos, inclusive tem mais quartos que algumas cidades vizinhas. O município também tem uma diversidade e oferece hotéis de negócios, hostels, e também os equipamentos da Tere-Fri como o Le Canton, entre outros. Temos uma hotelaria diversificada. Outras questões que merecem foco é o que fazer? O que a cidade precisa criar na parte de entretenimento de lazer? Enfim, estimular até a criação de alguns museus para que todos possam ter mais atrações, fazer entretenimento. Isso é algo que precisa ser investido e roteirizado. Também temos a questão das compras. Em um passeio a gente tem que ter também o acesso à cultura local, a questão do artesanato, ao que o teresopolitano produz. Vamos ter que organizar essa oferta turística para que possamos conseguir formatar um produto bem alinhado e comercializar esse produto nas feiras e na região, trazendo esse turismo, incrementando a economia e gerando emprego.

A Agência de Desenvolvimento Regional – MercoSerra será de grande importância para o desenvolvimento da Região Serrana? 

- O MercoSerra é uma agencia da iniciativa privada, de grandes empresas das três cidades. Petrópolis, Teresópolis e Friburgo estão juntas e nessa empreitada têm pessoas do bem, pessoas que acreditam na região. É uma iniciativa que já aconteceu chegando a ter mais de 7 mil sócios. Nesse momento está voltando, com a necessidade da iniciativa privada ajudar a compor o desenvolvimento econômico, a pensar as políticas públicas, uma vez que o estado sofreu uma grande falência e tem muitas dificuldades de se recompor. Está na hora da iniciativa privada ajudar e o MercoSerra, que pode ser a grande agência de desenvolvimento econômico com representatividade das três regiões, atendendo as demandas, atraindo negócios, fazendo feiras de negócios e levando as demandas para concessionárias, enfim, para órgãos públicos para que soluções que já poderiam ser resolvidas possam efetivamente atender a região. Tenho a certeza que a nossa gestão vai dar total apoio ao MercoSerra, por entender que é um instrumento da iniciativa privada muito importante para a região.

Alguma mensagem? 

- A mudança era um sonho, e agora a mudança começou! Vamos precisar que todos estejam unidos. Temos uma Teresópolis que anseia por mudança, que está renovando a esperança de viver dias melhores e isso só será possível com a ajuda de todos. As pessoas de bem, as pessoas que querem prosperar, que querem sonhar novamente, e isso nós vamos fazer com bastante calma e dando o devido espaço a elas, valorizando as diferenças, respeitando a diversidade, e de uma maneira que haja uma gestão participativa constante, entendendo que uma boa solução pode ser feita por várias pessoas. 
Creio que a mudança também vai se dar com a ajuda dos nossos vizinhos. Já estive conversando com Renato Bravo, prefeito de Friburgo, e temos um alinhamento de ideias, e sabemos, principalmente, que a Tere-Fri pode ser um grande roteiro turístico. Existem já equipamentos de excelência na estrada, que agora precisa de uma atenção na questão do recapeamento da RJ 130. Tanto eu como o prefeito de Friburgo vamos trabalhar juntos nessa questão. Vamos também fazer a sinalização dessa rota importante, a roteirizando já que entendemos que ela pode, verdadeiramente, fortalecer o turismo na região, e levar desenvolvimento para as duas cidades, esse será o nosso foco.

Parceiros