18/05/2017 - 15:56h - Autor: Anderson Silveira

A “Internet das Coisas” já é uma realidade

A “Internet das Coisas” já é uma realidade

A internet ganhou notoriedade já em sua primeira fase quando era apenas uma rede de computadores e, na seguinte, pessoas e comunidades ocuparam lugar de destaque através das redes sociais.  Na terceira fase, a da Internet das Coisas (IoT), a ideia é fazer com que tudo se conecte de forma a facilitar a vida dos usuários promovendo constantes interações e ampliando a conexão entre seres inanimados em proporções até há bem pouco tempo improváveis, numa interação definitiva entre objetos, pessoas, processos e computadores. Um exemplo prático é o controle de equipamentos de casa via celular. De maneira remota podem ser acionados vários itens domésticos como banheira de hidromassagem, cafeteiras, câmeras, portões, luzes etc...

“É fundamental que dados de inteligência sejam gerados, analisados e informados dinamicamente visando o aumento da eficiência operacional em novos modelos empresariais. É a pura realidade, quem não investir nesse sentido vai ficar muito para trás!” – Anderson Silveira (foto: Êxito Rio)

 Os avanços obtidos através da  IoT estão revolucionando a oferta de produtos e serviços e a empresa que incorporar essa tecnologia vai poder gerir melhor custos, centralizar o controle dos seus negócios e ampliar as oportunidades de receita. A abrangência dessa nova possibilidade interativa é ilimitada e todos os setores da economia podem ser beneficiados. No turismo, por exemplo, vai tornar possível um melhor atendimento, abolindo inclusive o enfadonho preenchimento de fichas em meios de hospedagem. Além disso, pode proporcionar um maior bem-estar aos hóspedes através da personalização dos serviços, permitindo que eles desfrutem em suas acomodações de uma decoração baseada em preferências, com direito a um colchão que regula a temperatura de acordo com a sua sensação térmica, um cardápio desenvolvido especialmente para o caso de estar em dieta, uma pré-reserva, com desconto, para um evento pesquisado quando a viagem ainda estava sendo planejada. O curioso é que tudo isso pode ser feito pelo meio de hospedagem com base apenas nas informações colhidas na internet e ajustadas ao centro de interesse dos hóspedes.

A busca pela inovação exige que a força de trabalho seja altamente móvel porque não só clientes, como também toda a cadeia de suprimentos que demandam ferramentas de negócios disponíveis a qualquer momento e em qualquer lugar. É fundamental que dados de inteligência sejam gerados, analisados e informados dinamicamente visando o aumento da eficiência operacional em novos modelos empresariais. É a pura realidade, quem não investir nesse sentido vai ficar muito para trás!

 

Notícias relacionadas

CLIQUE AQUI PARA VER MAIS

Compatilhe nas Redes Sociais!

comentários