25/09/2020 - 09h36min - Autor: Ayrton Dias

Lutas, por esporte ou profissão uma ótima escolha

Lutas, por esporte ou profissão uma ótima escolha

As artes marciais, além de serem arte guerreira e esporte de competição, também são modalidades que possuem diversos conteúdos não só no aspecto físico como também no social e intelectual. As aulas de esportes de combate são ricas em vivências importantes ao desenvolvimento psicomotor e algumas modalidades são recomendadas a partir dos 6 anos de idade - Foto: Fernando Ferreira

Em uma época em que o MMA (Mix Martial Arts) vem atraindo cada vez mais a atenção do público em geral, observa-se a grande aceitação das modalidades de combate nas academias. Pessoas de ambos os sexos e idades variadas passaram a se exercitar utilizando movimentos de ataque e defesa.

A maioria das lutas são baseadas em métodos de preparação física com raízes milenares. Elas já provaram sua eficiência como arte guerreira e atualmente são parte integrante do treinamento das forças militares em todo o mundo. O que gostaríamos de destacar é a vigorosa ascensão dos esportes de combate como modalidade esportiva. Algumas lutas são disputadas até em olimpíadas e essa condição sensibiliza cada vez mais as pessoas em relação aos benefícios esportivos e educacionais que elas proporcionam. As artes marciais, além de serem arte guerreira e esporte de competição, também são modalidades que possuem diversos conteúdos não só no aspecto físico como também no social e intelectual. As aulas de esportes de combate são ricas em vivências importantes ao desenvolvimento psicomotor e algumas modalidades são recomendadas a partir dos 6 anos de idade.

A prática regular de esportes de combate exercita simetricamente o corpo criando situações que estimulam a noção de tempo e espaço, ritmo, lateralidade, força e equilíbrio , entre outras valências além de, é claro , proporcionar um ótimo condicionamento físico. Para se ter ideia da importância das lutas no conhecimento corporal, destacamos que o iniciante é extremamente estimulado a dominar o lado direito e esquerdo do corpo desde a primeira aula e também a manter uma boa postura para o aprendizado das  técnicas de luta, contribuindo, dessa forma, para o praticante manter o saudável hábito da correção postural, assumindo uma posição mais ereta em seu dia-a-dia e isso contribui na prevenção de vícios posturais.

Nos cursos de licenciatura em Educação Física a disciplina “ataque e defesa” é de grande importância, pois as metodologias de ensino dos esportes de combate são muito ricas, auxiliando, em muito, na formação dos futuros profissionais que vão atuar nas escolas. Com certeza, o dispêndio de energia nas práticas esportivas é muito grande, todavia, em algumas modalidades de luta, o extravasamento da agressividade através dos “kyais” (gritos) intensifica ainda mais as atividades. Com os kyais se desenvolve a capacidade de mobilizar a força interior contribuindo para a canalização da agressividade do praticante, auxiliando-o a ter um maior controle sobre os seus próprios instintos. Dessa forma, possibilita-se também o desenvolvimento da autoconfiança. Por esse motivo os esportes de luta são muito indicados para serem introduzidos em instituições de ensino

A pratica de uma luta estimula, além da parte física, o aspecto intelectual. Algumas delas remontam aproximadamente cinco mil anos de existência sendo riquíssimas em informações que são transmitidas durante o aprendizado. Por exemplo, toda modalidade de combate tem uma origem que está relacionada a vários fatos importantes da história da humanidade e o próprio contato com o idioma, hábitos e atitudes das diferentes culturas dos países de origem das modalidades também já é, por si só, muito interessante.

Os praticantes de lutas são orientados no sentido de manter um uma convivência disciplinada durante as atividades. As movimentações são sempre precedidas de reverências que demonstram humildade e respeito e, ao final dos exercícios, há sempre o agradecimento pela oportunidade de ter aprendido ou desenvolvido de alguma habilidade. Outra atitude comum às lutas é a reverência ao professor no início e ao fim das aulas como forma de demonstrar respeito ao seu conhecimento. Essas rotinas são extremamente educativas, pois estimulam o respeito ao próximo e, principalmente, aos profissionais que atuam na área de ensino criando um ambiente de disciplina muito importante na formação educacional das pessoas.

 Marlon Moraes: Um friburguense campeão mundial de MMA

 Marlon um friburguense de 32 anos encontrou nas lutas, além de uma filosofia de vida, uma profissão! Ele está morando atualmente nos EUA, pois foi lá que passou a ter condições ideais para se projetar no competitivo mundo do MMA (Mix Martial Arts), tornando-se campeão da categoria "Galo" na World Series of Fighting (a segunda organização mais importante do mundo) e já é um forte contender pela disputa do cinturão do Ultimate Fighting Championship (UFC). Sua trajetória começou aos 9 anos de idade quando começou a treinar Muay Thay, “por influência de um amigo”, na Academia Brasil Fight Center. Seu primeiro professor foi Anderson França, um nome bastante conhecido no ambiente do MMA por preparar bons lutadores também friburguense, Edson Júnior. Aos 15 anos iniciou o seu aprendizado no jiu-jitsu e, com muito treino e dedicação, foi rapidamente superando obstáculos para se tornar um lutador muito respeitado por sua técnica e agressividade durante os combates. Marlon é uma pessoa muito tranquila e não acha que as lutas estimulem a violência. Ele acredita que a violência esteja nas pessoas e não nas artes marciais. Em sua formação com ser humano, a doutrina das artes marciais foi muito importante: “Na minha vida, respeito, disciplina e determinação sempre estiveram presentes.”, faz questão de ressaltar!

 

Marlon Moraes foto: Êxito Rio

Renan Moraes, lutando por um mundo melhor 

O Niteroiense Renan(46 anos) começou a treinar Judo aos 5 anos motivado pelos desenhos animados que via na TV. Aos 7 anos, influenciado por "Karate Kid", iniciou a prática do karate porque queria aprender a socar e chutar. “ Tive a sorte de ter tido sempre bons professores e isso foi muito importante na minha formação educacional.” Renan não vê nas lutas um estímulo à violência e atribui ao professor a condução do processo, acreditando que a maioria das modalidades de luta, em sua essência, prega a paz. “Muitos lutadores treinam apenas o corpo, mas tem o lado psicológico instável. Felizmente a grande maioria não é assim e acredito que as artes marciais, quando voltadas para fortalecer o indivíduo integralmente, estimulam a paz na sociedade.” ,destaca Apesar de muito bem sucedido em sua profissão (ele é designer da Rede Globo), Renan, que dedica-se a busca pelo conhecimento em várias modalidades de luta, adora ensinar, “Poder dividir uma informação que acho muito interessante, para mim é um grande privilégio. Transmitir conhecimento nos ajuda a aprender ainda mais. Uma coisa que tenho certeza é que o meu sucesso profissional deve-se às artes marciais. Praticando-as aprendi que conquistamos nossos objetivos aos poucos e com muito trabalho.”, finaliza! 

Renan, entre as duas crianças,  com alguns dos seus alunos. Atualmente tem trabalhado na difusão do Systema (arte marcial russa) - Foto: arquivo pessoal

Parceiros