13/05/2016 - 17:02h - Autor: George dos Santos Pacheco

Tratamento de canal

Tratamento de canal

Vou precisar tratar canal. Fazer o quê. Eu recebi alta do tratamento odontológico, na minha última consulta, uma análise clínica não viu problema algum. Contudo, cerca de quatro meses depois, o molar começou a incomodar. A periapical revelou uma cárie profunda e pimba!, tratamento de canal. Puxa vida! Eu sempre fui tão cuidadoso, uso fio dental, faço uma escovação religiosa após as refeições… Então? Em algum momento eu dei um vacilo, e não vai ter jeito. Por mais que eu esteja com medo do tratamento  – e com vergonha disso – vou ter que fazê-lo. E sabem de uma coisa? Nossa situação política é bem parecida. O tal impedimento é semelhante a um tratamento de canal. Nenhum brasileiro em sã consciência desejou nem um, nem outro. Se não temos dentes branquíssimos, bem desenhados e alinhados, que, pelo menos, não tivéssemos cárie, e se ela já estivesse instalada, que fosse diagnosticada sem dor. Mas fazer o quê? Em algum momento demos um vacilo, e vamos ter que passar pelo tratamento, gostando ou não disso.

Vão me perguntar: Você é contra ou a favor do impeachment? Eu vou responder que sou contra, de pronto. Mas gostaria muito que fosse feita a investigação e se, apurados os fatos, for constatado que houve erros e “pedaladas”, que haja o impedimento. Até porque meu dente está doendo, e muito. O seu não está não?

Então por que eu sou contra?

Poxa! Outra impeachment? O que os meus vizinhos vão pensar de mim?

Vejam nossa história política. O Brasil foi governado por uma Monarquia que fugiu de Portugal que explorou, mandou e desmandou, rendida por uma primeira República que explorou, mandou e desmandou… Tivemos Inconfidências, Canudos, ditaduras, renúncias, suicídio… e este será o nosso segundo impedimento. O segundo! Mas que história política bacana nós temos, não é mesmo?

Diga-me, caro leitor, quantos países você conhece que já passaram por esse processo? Pois é. Eu também não conhecia. O impedimento nasceu na Inglaterra Medieval, e ressurgiu nos Estados Unidos. Já houve no Equador, Irã, Paraguai, Venezuela, e aqui, já foram denunciados Floriano Peixoto, Campos Sales, Hermes da Fonseca e Getúlio Vargas. Nesses casos, nenhum pedido foi acatado; Collor, denunciado, renunciou, mas não escapou de ser punido.

Assim, torno a dizer que, por mais que eu esteja com medo de fazer “canal”, e com vergonha disso, vou ter que fazê-lo – vou arriscar perder um dente? Mas como eu não sou bobo, nem nada, vou pedir ao dentista que investigue todos os outros. Porque eu não estou sentindo dor, mas pode ser que haja outras cáries, e eu vou querer tratar antes que isso vire um “canal”. E já que estamos com a boca aberta, porque não fazer o tratamento completo?

georgespacheco@outlook.com

Notícias relacionadas

CLIQUE AQUI PARA VER MAIS

Compatilhe nas Redes Sociais!

comentários